O CFPSA > História

MOMENTOS...

NA HISTORIA DO CFPSA

Quase nem nos demos conta mas, como afirma a sabedoria popular, “o tempo voa …”.

Parece que foi ontem e já estão passados trinta anos sobre a assinatura do Protocolo que criou o CFPSA.

Não em jeito de balanço mas de análise intro e retrospectiva, podemos afirmar que, porque a vida de qualquer instituição, tal como a vida dos cidadãos, é feita de bons e maus momentos com os quais vamos aprendendo a progredir, também nestas três décadas de vida encontrámos momentos melhores e menos bons, mas de que nos orgulhamos, pois estamos conscientes de com ambos ter crescido e contribuído para o desenvolvimento da formação profissional num sector de actividade que se constitui como reconhecidamente fundamental e estratégico para a economia nacional.

É inegável o excelente contributo e denodado empenho, aos mais variados níveis, prestados pelos diversos outorgantes do Protocolo (Associações Empresariais, Associação Sindical e Instituto de Emprego e Formação Profissional), entendendo também como seu e de sua co-responsabilidade, todo o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido e aquele que já está a ser perspectivado e programado para os próximos tempos.

Porque o excesso de modéstia pode ser considerado hipocrisia, vamos assumir tudo o que de positivo pensamos já ter feito e, sem entrar em descrições fastidiosas e exaustivas, destacar alguns dos momentos que julgamos mais marcantes na vida do CFPSA. Naturalmente que, com a correta dose de sensatez, todos somos e devemos ser um pouco narcisistas, pelo que também estamos certos de que outros momentos poderiam ser referidos nesta resenha histórica. Contudo …

 

 

1984

Assinatura do Protocolo de Constituição do CFPSA;

Realização do Iº Curso de Pastelaria e do Iº Curso de Trabalhos em Chocolate;

Porque foi o ano de arranque do CFPSA enquanto entidade já constituída e era necessário iniciar de imediato as ações, dadas as necessidades que o mercado fazia sentir, os primeiros cursos foram ainda ministrados nas instalações da antiga Escola de Panificação de Lisboa cuja atividade foi após integrada no Centro.

 

1986

1985

Início da Atividade nas instalações da Pontinha
A determinação e a vontade de corresponder às necessidades e solicitações de formação, foram mais fortes que tudo e o CFPSA, embora confrontado com algumas dificuldades físicas e logísticas, mudou-se para instalações adaptadas, situadas na Pontinha.

 

1986     1986-nau

1986

Medalha de Ouro no Campeonato do Mundo de Trabalhos Artísticos em Açúcar – Luxemburgo

– Nau Príncipe da Beira

Ainda o CFPSA dava os primeiros passos e, já de uma forma “atrevida” mas consciente do valor dos seus técnicos, se decidia a competir, pela primeira vez a nível internacional, ombreando com o que de melhor se fazia então no mundo em termos de pastelaria artística.

E em boa hora o fez, pois com uma fabulosa reprodução em Pastilhagem da nau portuguesa “Príncipe da Beira” conseguiu, com unanimidade do júri, trazer para Portugal a Medalha de Ouro, tendo deixado as demais potências mundiais de olhos bem atentos para todo o potencial nacional que então desabrochava.

Estávamos ainda longe de supor que outras distinções internacionais se seguiriam mas …

 

1987

1987

1º Curso de Restauração Colectiva;

Aquisição, no Brasil, de três Unidades Móveis: Cozinha;Carnes e Pastelaria/Panificação

Este ano marcou o arranque da formação na área da Restauração, que se viria a revelar mais tarde como um dos ícones da atividade do CFPSA.

O diagnóstico efectuado permitiu concluir pela necessidade de descentralização e consequentemente pela possibilidade de levar a formação até aos locais onde se revelava necessária e onde não se justificava a criação de condições físicas permanentes.

Foi dessa forma que, contando com a vastíssima experiência dos nossos colegas brasileiros do SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – que conceberam e implementaram a utilização de Unidades Móveis em todo o território brasileiro e adaptadas às mais diferentes profissões, o CFPSA procedeu à aquisição de três dessas Unidades, tendo-as adaptado e equipado de acordo com as especificidades das ações de formação a que se destinavam – Cozinha, Carnes e Pastelaria/Panificação.

 

 

1988 1988-2

1988
Início dos Cursos de Eletromecânicos de Refrigeração e de Analistas de Controlo de Qualidade

Ao tempo e para o quadro de atuação do CFPSA estas foram duas ações pioneiras, inicialmente talvez um pouco incompreendidas, mas que se revelaram de extrema importância e com elevados índices de empregabilidade. Pena foi quando começaram a escassear interessados na frequência das ações de Eletromecânico, e que muito recentemente conduziu ao encerramento total desse curso. Contudo, ainda hoje, já alguns anos passados sobre essas ações, se comenta no mercado empresarial do sector, a qualidade dos profissionais formados pelo CFPSA.

O Curso de Analistas de Laboratório de Controlo de Qualidade é um dos casos mais paradigmáticos, cujo êxito consubstancia o esforço despendido na sua criação e implementação. Cada vez mais o termo Qualidade é apregoado e acerrimamente defendido por todos, pelo que a indispensabilidade destes profissionais se encontra plenamente justificada.

 

1989-1 1989-2

1989

Início da Formação nas áreas de Carnes e Cozinha;

Inauguração e Apresentação Pública das Unidades Móveis em Lisboa (Praça do Rossio)

O ano de 1989 será sempre recordado pela primeira grande exposição pública do CFPSA, pois durante uma semana e por deferência da edilidade lisboeta, as Unidades Móveis (até então uma absoluta novidade em Portugal) estiveram abertas ao público no coração da cidade de Lisboa, local privilegiado e que nunca tinha acolhido iniciativa semelhante, tendo sido visitadas por vários milhares de pessoas.

Foi também o ano que marcou o início da formação em Cozinha e Corte de Carnes, sendo que nesta última área, foi o CFPSA pioneiro absoluto e ainda hoje, quase vinte e cinco anos passados, continua a ser a única entidade em Portugal a ministrar esta formação específica, para não qualificados e também para profissionais no ativo.

 

1990

1990

Inauguração Oficial da Sede do CFPSA na Pontinha

Apenas ao fim de cerca de seis anos de trabalho foi possível realizar a Inauguração Oficial das Instalações da Sede do CFPSA, em 24 de Julho, pois também apenas nessa data se considerou estarem reunidas as condições estruturais para que tal pudesse acontecer, dado estarem já então todos os sectores de formação em funcionamento.

Paralelamente, o CFPSA realizou, durante uma semana, o Iº Seminário Internacional de Formação Profissional e o Iº Festival Internacional de Gastronomia, com a presença do Brasil, Alemanha, França, Espanha e as regiões autónomas da Madeira e Açores.

 

1991

Inauguração Oficial da Delegação Norte (Porto)

Início da Formação na Delegação Centro (Coimbra)

1991 marcou definitivamente a afirmação da abrangência nacional do CFPSA pela entrada em funcionamento das duas Delegações, embora, pela exiguidade de espaço, apenas com a possibilidade de realizar ações de Pastelaria/Panificação.

 

1995

Medalha de Prata - Campeonato da Europa de Peças Montadas em Açúcar – Madrid

– Padrão dos Descobrimentos

O reconhecimento internacional do CFPSA, iniciado já em 1986, valorizou-se em algumas manifestações técnicas pela Europa, corporizando-se neste ano de 1995 com a atribuição de um excelente segundo lugar num disputadíssimo Campeonato da Europa, no qual, nem os menos cépticos acreditavam nas possibilidades da equipa nacional.

 

1996
Medalha de Ouro - Campeonato do Mundo de Peças Artísticas em Açúcar – Paris

– Torre de Belém;

Acreditação do Laboratório de Ensaios

Um ano passado sobre o Campeonato da Europa e dez anos após a primeira conquista, eis de novo a atribuição de um título mundial de Pastelaria ao CFPSA. Os monumentos nacionais mais conhecidos internacionalmente (Padrão dos Descobrimentos e Torre de Belém) voltam a “fazer das suas” e a elevar bem alto o nome de Portugal e, neste particular, da sua Pastelaria Artística.

Tentando dar resposta às inúmeras solicitações que foram surgindo ao longo dos anos, o CFPSA procedeu ao alargamento físico e técnico e à modernização do seu Laboratório de Ensaios que recebeu a primeira Acreditação em 1996. A partir desta data as empresas do sector puderam começar a contar com mais uma estrutura de apoio técnico e de controlo laboratorial. Trata-se atualmente de um dos mais requisitados sectores de atividade do CFPSA.

 

2000

Medalha de Ouro à Tradição Artesanal da Pastelaria Portuguesa – Campeonato do Mundo de Mestres Pasteleiros – Wiesbaden – Alemanha

Foi na Alemanha que finalmente o júri internacional reconheceu a qualidade e o carácter Artesanal da Pastelaria Portuguesa, em confronto com o que se vai fazendo no Mundo da Globalização. Foi sem dúvida um passo de gigante na direção certa da tradição e da artesanalidade.

 

2001

Inauguração das instalações provisórias da Delegação do Algarve;

Entrada do CFPSA no GUINNESS BOOK OF RECORDS

Foram necessários 15 anos para que o CFPSA chegasse ao sul do país, tradicionalmente uma região muito “sui generis” no que respeita a factores como Turismo, Gastronomia, Economia, Tradição, Sazonalidade, etc. mas temos a certeza de que muito há a fazer em termos de Formação Profissional neste sector, pelo que continuamos a acreditar nas nossas potencialidades e em tudo o que poderá ser feito pela e para a região.

Como que por brincadeira mas sempre de uma forma absolutamente responsável, o CFPSA respondeu afirmativamente a um desafio que lhe foi colocado por uma entidade externa e construiu “O Mais Longo Salame de Chocolate do Mundo” com 75 metros, por ocasião do Dia Mundial da Criança.

 

2002

Medalha de Bronze - Campeonato da Europa de Mestres Pasteleiros – Roma;

Medalha de Ouro - Festival Europeu do Pão – Concurso de Peças Artísticas – Brantôme – França – Guitarra Portuguesa

Mais um Concurso Internacional e mais uma distinção à Pastelaria Portuguesa e aos seus Mestres. Desta vez foi apenas Bronze mas… importa reconhecer que não se pode ganhar sempre!

E da Pastelaria Artística, passamos à Arte em Pão.

Mais uma vez a qualidade dos técnicos de panificação portugueses foi posta à prova em casa de um adversário de respeito (França) e premiada ao mais alto nível. O Fado e a Guitarra Portuguesa serviram de inspiração e a mestria fez o resto.

 

2003

Medalha de Ouro – Festival Europeu do Pão – Concurso de Peças Artísticas – Ravena – Itália – Barco Rabelo

É costume ouvir dizer que “a História se repete” e no caso do Panificação Portuguesa esse é um facto real já que em 2003, uma peça artística em massa de pão reproduzindo um típico Barco Rabelo, realizada por técnicos do CFPSA, repetiu em Itália o êxito anterior obtido em França e brindando de novo o nosso país e a sua tradição, com mais uma Medalha de Ouro.

 

2011

Medalha de Mérito Turístico - Grau Ouro

A mais insigne distinção, atribuída pelo Estado Português, pela relevância da missão e trabalho realizado em prol da elevação do Turismo Nacional através da dignificação das profissões e dos profissionais do setor, bem como dos produtos tradicionais e a acérrima defesa dos valores culturais intrínsecos da nossa gastronomia.

Sem dúvida, uma ainda maior responsabilidade e, acima de tudo, a continuidade do desafio!

 

2012

Medalha de Mérito do Município de Odivelas

Pela inatacável qualidade do serviço público prestado à população do Concelho de Odivelas e pela notoriedade que lhe granjeia.

 

1984 – 2013

Mas a maior honra de que o CFPSA se pode orgulhar é sem dúvida a do reconhecimento da qualidade da formação que tem vindo a desenvolver ao longo destes quase trinta anos de atividade, por parte de ex-formandos, empresas e empresários do sector.

 

O FUTURO

“Responsabilidade, Empenho e Cooperação” poderá ser o lema para os próximos trinta anos. Será uma missão relativamente fácil de cumprir se, para além do nosso trabalho, pudermos continuar a contar com a indispensável colaboração de todos quantos, ao longo destas quase três primeiras décadas, demonstraram, sobretudo uma saudável amizade pessoal e institucional, consubstanciada na estrutura de que hoje tanto nos orgulhamos.

E que venham mais trinta…!

Páginas Relacionadas

> O que somos > Missão > Valores > Estrutura Orgânica